quinta-feira, 19 de maio de 2011

Conto de fadas




Sei que a ana deixa qualquer uma confusa e quanto mais cedo tivermos pior, como é teu caso, como é o meu (comecei com 15 anos, tenho 18 agora...)

Já fui atrás de ajuda mas não é só isso, tbm é necessário que alguém te apoie senão vc não consegue ir adiante. Sempre estive sozinha e quando a ana apareceu não foi diferente. Depois de meses me tratando,resolvi me afastar por um tempo, não tomar remédios(odeio remédios) e fui ler.

Então descobri esses vários blogs pro-ana e pro-mia de garotas que se descobriram com a doença e por não conseguirem se tratar apoiavam outras garotas. É claro que há MUITAS garotas que não tem esse transtorno, somente querem emagrecer e usam os termos "ana/mia" de forma errada, como se quem sofresse disso tivesse escolhido ter a(s) doença(s). Nesse tempo, o qual me afastei de médicos e tal pra me dedicar "a mim", percebi que muitas garotas, as REAIS anas e mias se sentiam sozinhas e encontravam numa doença o conforto, como se a ana fosse uma amiga que estivesse conosco sempre que precisarmos.

A ana nada mais é do que a carência que nós garotas temos de ter alguém conosco, que nos trate com carinho, que atenda nossas necessidades, que esteja PRESENTE. Quando não há esse "alguém" isso nos desestimula, nos faz sentir tristes, horríveis, FEIAS. Então nós fazemos de tudo pra emagrecer, pra nos sentirmos lindas e quem sabe fazer alguém reparar em nós - pouco importa se esse "alguém" é um garoto, sua mãe, seu pai, amigos, etc.

É óbvio que não há só isso por trás da ana. Ela pode ser causada através de distúrbios anteriores (como depressão, meu caso) e piorar conforme o tempo passa. É ruim, eu sei, mas encontrei nessas garotas um motivo pra viver. Através de anas e mias que percebi que, se não posso ir contra a ana, posso me juntar a ela. E aceitei.

Hoje estou bem mais feliz. Claro que prefiro quando era pequena, quando nada disso existia, quando comia o que quisesse sem culpa alguma. Quem sabe no futuro eu vá me tratar. Espero, pois é uma questão de saúde mesmo. Mas por enquanto vou viver nesse conto de fadas, junto com tantas outras meninas que imaginam o mesmo. A sociedade pode não entender, mas nós nos sentimos felizes assim e se não aceitam, por favor, pelo menos nos respeitem.








4 comentários:

  1. Flor, valeu por repostar, fique a vontade. Concordo com o que vc disse os TA são realmente sérios e muitas garotas querem desenvolver ou dizem ser anas e mias sem de fato o serem, eu por exemplo - vomitava bem antes de saber o que é miar, muito antes de saber que haviam tantas garotas nessa situação,essa minha "mania" é apenas uma tendencia a mia, não chega a ser um transtorno, não sou bulimica, não no sentido patologico. Entendo que muitas garotas devem sofre horrores com os TA, mas as que geralmente encontramos nos blogs são pro-ana e mia.

    Tenha um bom dia querida
    Cuide-se
    =)

    ResponderExcluir
  2. Concordo plenamente com vc...são poucas aqui pelo blog que realmente ana-mia. Algumas veem na ana e mia uma forma de se tornar magra, mas não sabem que traz mtos problemas junto. A maioria tem transtorno alimentar que é meu caso e outras fazem ra. Mas o bom é que sempre estamos aqui pra dar força umas as outras.

    Obrigado pela visita.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  3. Adorei o teu post... é também o que eu sinto e penso... eu a partir dos 13/14 que começei a me isolar, e a ficar cada vez mais triste. Não era depressão propriamente dita, mas quando fiquei com a ana, dois anos depois, aí veio mesmo a depressão! A busca por um peso cada vez mais baixo é como se nos abstraisse do mundo lá fora. passamos a viver num mundo só nosso, um mundo que mais ninguém percebe. e é verdade... a cada semana que passa a doença torna-se cada vez pior, cada vez mais confusa, cada vez mais impossivel de largar :S
    em relação ao termo ana/mia, realmente há muitas meninas que não se deviam chamar assim. talvez apenas mia, mas algumas nem mia são. mas devo admitir que também usei esse termo quando não era nada disso, mas com o tempo esse termo deu-me força para me tornar uma verdadeira ana

    ResponderExcluir
  4. Concordo com vc, a ana me escolheu qdo eu tinha 15 anos tbm, hje com 26 anos, me pergunto onde foi que me perdi... Leia esse post que fiz em 16 de abril e saiba um pouco de minha história... Eu era anorexica muito antes de saber que se referiam como ANA.Bjus e força flor, obrigada pelos coments.

    http://eucomoamimmesma.blogspot.com/2011/04/marcada-marcas-de-um-passado.html

    ResponderExcluir

Seguidores