segunda-feira, 27 de maio de 2013

Poema: Cecília Meireles

"Eu não tinha este rosto de hoje,
assim calmo, assim triste, assim magro,
nem estes olhos tão vazios,
nem o lábio amargo.

Eu não tinha estas mãos sem força,
tão paradas e frias e mortas;
eu não tinha este coração que nem se mostra.

Eu não dei por esta mudança,
tão simples, tão certa, tão fácil:
- Em que espelho ficou perdida a minha face?"


Cecília Meireles

posted from Bloggeroid

5 comentários:

  1. Eu já li essa poema no ano passado e pensei exatamente sobre depressão, ana e mia.
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Mudanças que a gente nem se dá conta e quando vê, é tarde demais...

    ResponderExcluir
  3. Tão nós... não é amiga?... Beijinho.

    ResponderExcluir
  4. Esse poema é magnifico!!
    Pelo menos me descreve perfeitamente!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  5. Lindo o poema, acho que todas nós nos imaginamos quando lemos.

    ResponderExcluir

Seguidores