quarta-feira, 29 de maio de 2013

Dia cansativo

Hoje foi um dia interessante, fui com um amigo colocar piercing (dele), andamos e nos divertimos a beça por aí.
Não esqueci do desafio “-13kg em 6 semanas“, que acaba dia 11/06, fiquei na rua de 8h até 16h30min, andei muito mas valeu a pena.
Liguei pro namorado, falei com ele, é bom ouvir sua voz.
Não tenho tanto a acrescentar agora, estou com cílios postiços muuuuito grandes, roxos, vou me preparar para fazer as unhas. ^^ Coisas de menina.
Enfim, por enquanto é isso. Até que faço bastante coisas na vida mas passei tanto tempo sem postar frequentemente que “perdi“ um pouco da prática de dizer o que me passa; noutra hora escrevo melhor.

posted from Bloggeroid

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Poema: Cecília Meireles

"Eu não tinha este rosto de hoje,
assim calmo, assim triste, assim magro,
nem estes olhos tão vazios,
nem o lábio amargo.

Eu não tinha estas mãos sem força,
tão paradas e frias e mortas;
eu não tinha este coração que nem se mostra.

Eu não dei por esta mudança,
tão simples, tão certa, tão fácil:
- Em que espelho ficou perdida a minha face?"


Cecília Meireles

posted from Bloggeroid

Pular corda pra emagrecer

Bom dia gente! Acordei feliz, tenho passado os últimos dias mais feliz, também perdi peso ^_^
Vou começar a fazer o exercício de pular corda, mínimo de 1h por dia. De acordo com esse site, 20min por dia pulando corda, durante 15 dias, perde-se de 4 a 6kg, além de deixar o corpo mais durinho e definido. Veja aqui

Por enquanto só isso que tenho a dizer. Então vamos pular corda!

posted from Bloggeroid

quinta-feira, 23 de maio de 2013

Não sou pró ana

Só isso que queria dizer por agora. Não pretendia postar hoje mas são tantas pessoas me adicionando e me pedindo dicas que tá difícil suporta, principalmente quem me adiciona e logo depois me envia mensagem dizendo “Li seu blog...“. Sd tivessem lido meu blog realmente saberiam que não sou a favor de doenças! Ter uma doença não significa que eu apoie isto.
Quer emagrecer sendo doente? Vão fumar crack ou pegar aids sem se tratar que vocês ganham mais, não é isso que querem afinal, “emagrecer a qualquer custo“ ?
Aff -_-“

posted from Bloggeroid

quarta-feira, 22 de maio de 2013

PROCURA AJUDA!

Tu acordas de manhã e a primeira coisa que te vêm à cabeça são pensamentos negativos. A primeira coisa que pensas é: "Meu Deus... Mais um dia pela frente... Um dia repleto de sofrimento, de angústias, de dor... Só estou à espera que a morte bata à minha porta para aliviar a minha dor..."
Depois, pensas em pesar-te. Olhas para a balança, com medo. Os números tornam-se amigos e inimigos ao mesmo tempo e, com o medo de subires à balança e teres uma decepção com aquele maldito número, preferes nem pesar-te. Sentes-te um monstro quando o fazes.
Depois de uma noite mal dormida, vais urgentemente fazer um café fortíssimo, na esperança de conseguires "despertar", assim como ter alguma força, porque há dias em que tu nem força tens para te aguentares em pé. As tonturas, fraquezas, cansaço e depressão são constantes. O teu olhar nunca transmitirá segurança ou paz.
Depois -> escola. Passas o dia desconcentrado nas aulas, a contar calorias, a fazer o teu plano alimentar e de exercícios. Porque tu não descansas enquanto não souberes com exactidão o que vais comer, e que exercícios vais fazer.
Porque a comida gira à tua volta, e a única coisa em que tu pensas é sobre ela... e em MORRER.
Porque com a vida que tu levas, não te importas se te matares. Se antes vias um caixão e ficavas apavorado, hoje em dia olhas para um caixão ou para uma sepultura e só pensas: "O que mais queria era estar ali."
Tornas-te uma pessoa depressiva, fria, distante de tudo e todos e não te importas com o facto de, se morreres, causares sofrimento à tua família que cá fica, porque a única coisa em que tu pensas é em aliviar o sofrimento que a tua alma carrega.
À medida que o tempo passa, as tuas notas vão descendo sempre. Porque já nada te importa. Nem mesmo a escola. A única coisa que te importa agora é o teu mundo interior.

Tu adoras falar disto com outras pessoas e falas na tua doença aos outros com uma naturalidade surpreendente, porque é um fardo demasiadamente pesado para se carregar sozinho, é uma cruz demasiadamente pesada para a tua alma. E por isso é que tu adoras falar disto às outras pessoas, porque ficas sempre na esperança de receber uma palavra amiga, uma palavra de AJUDA. Porque tu DESESPERAS por ajuda.
E sentes que a única coisa que te ajudaria neste momento seria morrer.
Não vês a hora de chegares a casa, porque a fraqueza é forte.
Chegas a casa. Tens uma compulsão. Vomitas até às tripas, choras, cortas-te, sentes-te extremamente depressivo e frustrado. E tomas uma mão cheia de laxantes e diuréticos.
Depois, vens para o pc, falar com pessoas que passem pelo mesmo que tu, porque, mais uma vez, queres ter uma palavra amiga. Não que te influencie a afundares-te ainda mais nesta merda de doença, mas apenas uma palavra que te console.
E depois, vais dormir. Porque sentes que não há nada melhor que isso: Dormir e consequentemente esquecer a vida miserável que levas, nem que sejam apenas por algumas horas... Horas essas que, durante o sono, passam a correr, e que consequentemente signifiquem que são menos algumas (horas) até ao dia da minha (tão ansiosamente esperada) morte. Oh, como preciso disso...
E na cama, só pensas: "Meu Deus, obrigado por mais um dia se ter passado. Menos um dia até ao fim da minha tão ansiosamente esperada morte."
Conheço pessoas que têm TA há 15, 20 ANOS. Sim, ANOS. Isso é quase uma vida. Imagina o que é veres a tua vida consumida por uma doença durante 20 anos? Porque à medida que o tempo passa, a dor, o sofrimento, e a angústia vão aumentando cada vez mais. E a dor que tu sentes noite após noite, torna-se numa doença. Não sentes nada mais do que a dor por si mesma.
Pensas que vais conseguir parar quando chegares aos 59/60 kgs, mas eu sei que não vais. EU SEI. Porque o mesmo se passou exactamente comigo, assim como se passa com toda a gente que começa a desenvolver um TA.
Digo isto porque, como emagrecemos muito depressa, não damos tempo ao cérebro de acompanhar esse emagrecimento nem de se habituar a essa mudança, e consequentemente ele vai distorcê-la, fazendo com que nos vejamos iguais ou ainda mais gordos. Ora, e por isso é que nós, pessoas com TA, somos sempre do género: Quero chegar aos 60...; Hm, não, só até aos 55 e depois paro; Não, eu quero menos, menos! 45 será uma boa meta para mim; Hm, ainda não estou bem. 42. Depois 39. 36. 33. Até que perdes a noção da realidade e acabas com 20 e poucos kgs, numa cama de hospital, sem forças nem para te levantares, a vomitar sangue, com soro na veia, entre a vida e a morte...

E agora pergunto-te eu: É isto que tu queres?
Queres ver a tua vida consumida por esta merda que te destrói dia após dia? Nem precisas de responder, porque eu já sei que a resposta é NÃO. Não, não queres.
Procura ajuda o mais rápido possível. Quanto mais a doença se cronifica, mais difícil é de curar. E eu tenho a certeza que tu te queres dar uma vida e um futuro melhor. E isto não é vida para ninguém... Acredita...

E não me digas que sabes no que te estás a meter, porque aí eu pergunto-te... : Será??



Texto escrito por Francisco Lameira.
Link do post original: http://ana-mia2011.blogspot.com.br/2012/11/procura-ajuda.html

posted from Bloggeroid

Me superando

Não importa que digam que estou feia, emagrecendo demais, eu gosto de ser assim (em termos). Fico feliz quando emagreço, minha alegria aumenta a medida que perco peso, não sei se muitos se incomodam com o fato de ficar feliz com algo ruim e destrutível mas se é isso que me deixa feliz, então que seja.
Poucas coisas na vida eu tenho total controle, meu peso é um deles. Eu não tenho ocupações na vida ao não ser esta, esta ocupação que me faz sentir importante, me faz sentir alguém, me faz sentir que posso conseguir o que quero. Não tenho oportunidades na vida, então tenho que por minhas habilidades, controle e força de vontade em algo, mostrar que sou capaz e ter bons e esperados resultados, criar minhas expectativas e ultrapassá-las.
Não me sinto feliz por ser doente mas me sinto feliz por conseguir o que desejo, mesmo que a longo prazo.
Se me dessem a chance de mostrar essa força de vontade em outros lugares, com certeza se orgulhariam de mim.
Já que portas nunca são abertas, eu abro janelas e me preparo para voar através delas.

posted from Bloggeroid

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Sobre fds (20/05/13)

Semana tranquila. Fim de semana foi bom, menos a parte da comida, comi o que não devia e meu estômago logo ficou revirando. Estou agora com o namorado vendo tv e estou editando algumas fotos, das quais me vejo magra em umas e enorme em outras. É difícil lidar com essas mudanças de corpo, de visão, você perde a noção da realidade e de si mesma.


posted from Bloggeroid

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Indo bem no desafio

Me pesei terça-feira (14/05/13), depois de meses. Foi um alívio e algo horrível ao mesmo tempo.
Logo tratei de perder peso e já na quinta-feira (16/05/13) havia diminuído o número.
Acho que vou me pesar terças, quintas e sábados, ou outros dias mas sempre 2 ou 3 vezes na semana.
Consegui sair de casa \o/
Segunda e terça caminhei poucas horas, quarta permaneci em casa, quinta andei por umas horas com uma outra menina anoréxica e bulímica e hoje andei um pouco também.
Quanto a alimentação tenho feito um bom trabalho, não me restringindo mas comendo pouco. Só preciso intensificar mais os exercícios.

posted from Bloggeroid

segunda-feira, 13 de maio de 2013

Dificuldades

Os dias tem se passado, dias difíceis. Outros aspectos melhoram, assuntos pessoais. A depressão ainda me toma e já não consigo fazer coisas habituais, até sair de casa tem sido complicado, demoro pelo menos 1 ou 2 horas a decidir quando estou “pronta“ para girar a chave na porta, mesmo já estando arrumada.
Difícil saber o que fazer nessa situação, ter medo até de sair? Em que ponto cheguei?

sexta-feira, 10 de maio de 2013

Cansada

“E todos os dias eu penso que eu deveria acabar com tudo isso… Acabar com o que está acabando comigo. Por que eu continuo vivendo, se todos os dias são iguais, tristes, vazios, uma luta sem causa e sem fim? Pra onde estou indo? A quem estou enganando todos os dias? O que me motiva a existir, se eu simplesmente já estou meio morta por dentro? Ah, estou cansada. Muito cansada. Sem drama, sem choros. Eu somente estou cansada, e nada mais.“

by Anny Freyres

posted from Bloggeroid

Parem

PARADA CARDÍACA, cadê você? Vem até mim, vem, ÓRGÃOS, parem de funcionar, morram logo, já estou morta por dentro, já mataram tudo o que havia na minha mente.
Coração e pulmão, não preciso disso, intestino, pare seu funcionamento, não quero nada disso, órgãos explodam, já basta minha sanidade que não existe mais.
Um ponto final, por favor.

posted from Bloggeroid

quinta-feira, 9 de maio de 2013

App Bloggeroid + medidas

Passei uns dias em off testando aplicativos do Blogger (já que o principal, do próprio Blogger, é muito fraco). Estou usando o Bloggeroid , um dos melhores nesse meio.
Quanto a semana de desafio, não fiz exercício, acho que caminhei 1 ou 2 dias e só. Só a alimentação que foi reduzida e acabei perdendo algum peso. Problemas emocionais também não me deixam comer.
Recentemente tenho sido adicionada a muitos grupos pró ana/ pró mia, já nem ligo mais, a maioria já tem idade avançada e sabe muito bem o que está fazendo - tirando a parte de não assumir que estão correndo atrás de uma doença e não uma brincadeira. Tento “alertar“ alguns, quem quiser ter suas amiguinhas da magreza do lado que as tenham, não ligo mais.
Tirei minhas medidas, pensei que ficaria desapontada mas não foi muito; se tivesse feito exercício teria medidas melhores =\


Medidas: (08/05/13)

Cintura - 55cm
Quadril - 69cm
Braço (parte superior) - 19cm
Braço (parte inferior) - 17cm
Coxa (parte maior) - 40cm (esquerda) / 38,5cm (direita)
Coxa (parte mais fina) - 30cm
Panturrilha - 26,5cm (esquerda) / 26cm (direita)
Busto - 73cm

Mas ainda me vejo gorda.

posted from Bloggeroid

sábado, 4 de maio de 2013

Um pouco da minha história



Nunca fui gorda, nem gordinha, nada, sempre fui magra, claro que magra normal (o que eu considero cheinha). Não gosto quando falam “só quem já foi gorda que sabe o que é sofrer“, já ouvi todo tipo de comentário, aidética, doente, esqueleto, morta viva etc desde sempre. Não sei o porquê mas sempre quis emagrecer, sabia que era magra mas não via o que as pessoas viam. Lembro de aos 9 anos chorar na cama pedindo pra morrer e não entender o porquê de querer aquilo. Tentei me sufocar, consegui, fiquei sem ar por uns minutos e depois desisti. Sempre vi a morte relacionada a paz.

Aos 10 comecei a me exercitar exageradamente, almoçava e passava 3h direto fazendo exercícios como abdominais, flexões de braço, polichinelo, exercícios pra perna... e sempre que podia andava, muito, como estudava a tarde sempre dava um jeito de voltar a pé pra casa. Um dia fui com amigos numa farmácia e me pesei, já havia me pesado outras vezes mas nunca havia prestado atenção em números antes: 44kg, 14 anos (tinha por volta de 1,55m - 1,60m), prometi a mim mesma nunca ultrapassar esse número.
A partir dos 15 anos comecei a restringir a alimentação, comia tudo pela metade e fazia apenas 2 refeições por dia. Escola nova, nenhum amigo, minha amiga era a magreza. Chorava olhando meu corpo e continuava sem entender. Falavam que estava caquética, doente mas não ligava. Um tempo depois fiz um trabalho de escola sobre transtornos alimentares e gelei, fiquei com medo, e a cada pesquisa que fazia descobria algo com o qual me identificava. Não queria aceitar que tinha aquilo, sempre ouvi falar de anorexia mas nunca pensei que pudesse ter.
Aos 17 fiz um blog pra desabafo, as primeiras postagens com fotos minhas e o que sentia. Pessoas foram me seguindo e fui lendo esses blogs e me sentindo mal e bem ao mesmo tempo (até os 16 anos não tinha computador em casa e nem sabia da existência de blogs pró ana/mia).
Aos 18, com 39kg praticamente o ano todo, procurei tratamento sozinha, já havia pedido ajuda antes mas sempre ignoravam, comecei na parte psicológica mas a parte “física“ (com nutricionista) demorou a começar e sempre adiavam, havia tantos empecilhos que isso foi me desmotivando e eu acabei saindo (cada parte era feita num lugar e bairro diferente).
Vomitava também, foram somente alguns meses mas lembro de tudo como se fosse ontem, coração acelerado, o desejo insano de vomitar até água, comia desesperadamente só pra vomitar, passava mal. Os piores momentos eram os finais, quando percebia o que estava fazendo e chorava e miava e logo em seguida me limpava olhando no espelho uma garotinha assustada. Parece mentira mas num desses dias olhei para o espelho e disse que jamais faria aquilo de novo. Bom, vomitei depois de 1, 2 meses umas poucas vezes e depois acabou. Lembro que tudo durou alguns meses, não sei direito, mas não passa disso. Só as lembranças que não passam.
Atingi o meu peso mínimo 4 vezes, a última vez foi em jan/fev desse ano, 36,8kg pra 1,66m. Se fiquei satisfeita? Como cheguei até ali pensei que poderia ir além.
MAS mudei meus objetivos/metas: quero perder medidas e não somente peso e algo impressionante foi que nas duas últimas vezes que atingi meu mínimo foi comendo, sim, COMENDO e me sentindo bem. Não passo mais dias de nf, não pulo o café da manhã, nunca tomei lax ou qualquer remédio pra emagrecer.

Se ainda quero emagrecer? Quero mas não passando mal como antigamente, quero ser magra mas comer, mesmo pouco. Meta? Não tenho mais, bati todas as metas que planejei então...
Se quero me ver livre um dia? Claro! Pela minha thinspo maior Isabelle Caro, vou superar isso um dia.
Me entristece quem me pergunta como iniciar, como fazer pra ter anorexia, mesmo ouvindo isso milhares de vezes eu fico triste. Não escolhi ser doente nem odiar meu corpo ou deixar de sair por vergonha. Não “nasci“ assim porque não nasci um bebê doente, mas sou anoréxica a muito tempo e ainda não descobri o porquê. Hoje tenho 20 anos e há 10 anos quero emagrecer sem ter uma razão específica. Espero que alguém me ajude a entender isso um dia.

posted from Bloggeroid

quarta-feira, 1 de maio de 2013

Máscara

“Acordar, pôr uma máscara de felicidade e agir como se tudo estivesse maravilhosamente bem. Mas é só eu estar comigo só comigo mesma que essa máscara trata de sair e eu me me torno o que sou de verdade, a que se tranca no banheiro e chora durante o banho. Chorar, chorar, chorar, chorar, chorar... parece que nem mesmo isso alivia mais a dor dentro de mim. Cortar? Tão pouco. E sinceramente? Eu não aguento mais isso. Eu queria ser feliz como as outras pessoas, sorrir, brincar, passear, curtir, sem precisar ficar com a cabeça pensando mil coisas ao mesmo tempo, me sentindo inferior as pessoas, me sinto feia, gorda, sendo torturada pela minha propria mente.............
Porque é tãaaao dificil assim gostar de mim?? :'(
....... eu me odeio :'( :'( :'( “


Lo Anna

posted from Bloggeroid

Acordei feliz :)

Dia do trabalho, feriado, êêêh coisa boa! Hoje tomei o café da manhã apenas e pretendo depois ir ver uma amiga minha do Facebook o/
Estou tentando postar fotos mas tá difícil, enfim...
Hoje começa o desafio da Barbara e tô bem animada pra isso.
Por enquanto é só ;)

posted from Bloggeroid

Seguidores