quarta-feira, 31 de julho de 2013

É amanhã!

Amanhã, a meia- noite de quinta pra sexta, o Conexão Repórter mostrará o documentário "Obsessões", falando de transtornos alimentares. Aqui vai o link da chamada que está no ar.
Chamada Conexão Repórter (01/08/2013) - SBT

"O programa acompanha a vida de três mulheres marcadas pela bulimia e anorexia e faz revelações que poucos imaginam. Pessoas que vivem diariamente as consequências desse sonho sem limites e que acabam desenvolvendo graves distúrbios alimentares. 

"Você sabe que está indo para um caminho perigoso, mas não sabe como sair. É como um labirinto sem fim." - diz Júlia, de 20 anos, vítima de anorexia

"Eu penso que se eu pesar 35 quilos eu vou conseguir me ver normal, mas eu sei não é verdade. Eu sei que quanto mais eu perco, mais a distorção continua". - Thalita Ferreira, esquelética, 20 anos, 41 quilos, anoréxica.
"Depois que eu como vem o sentimento de culpa, porque eu sei que comi muito e sei que vou vomitar depois". - Regiane,23 anos portadora de bulimia extrema."


E aqui está o site do programa explicando um pouco mais sobre a reportagem.:
http://www.sbt.com.br/conexaoreporter/noticias/12855/Roberto-Cabrini-apresenta-documentario-sobre-jovens-obcecados-pela-magreza.html

terça-feira, 30 de julho de 2013

Programa sobre T.A.

Essa quinta (01/08/13) vai passar o programa Conexão Repórter, do Sbt, com o tema de transtornos alimentares. Passa meia-noite (de quinta pra sexta).
Tá aí, avisado a quem me perguntou.
Ansiedade me define agora. O pior é que não sei ao certo se verei ou não no dia, preciso de um lugar pra assistir.

posted from Bloggeroid

sexta-feira, 26 de julho de 2013

quarta-feira, 24 de julho de 2013

Hi

Por enquanto sem grandes novidades... Só que meus exames foram adiados pra quarta que vem, lá estarei com 89 dias sangrando sem parar (82 dias hoje).

posted from Bloggeroid

segunda-feira, 22 de julho de 2013

Comida

“Ah, a comida. Que inimigo. Que monstro. Porções pequenas pra acabar mais rápido. Cada mordida uma tortura. O difícil ato de comer. Algo que nutre, algo que destrói. Como uma simples matéria morta causa tanta confusão? É massacrante.“

“Eu estou bem“, disse a menina que se olha no espelho todas as manhãs e sente nojo de si mesma.

posted from Bloggeroid

domingo, 21 de julho de 2013

O ato de comer e suas aflições

Ontem de manhã tomei o de sempre, café preto + pão, e passei o dia sem nada, comi 4 bolachas cream cracker 4h da tarde porque o namorado me pediu pra comer algo antes de sair de casa. Só fui comer de novo 3h manhã, fomos numa boate e na volta pra casa ele pediu pra que comesse algo.
Paramos numa lanchonete, comi um croissant de queijo com suco de uva, nossa, como aquilo me doeu. Na metade do lanche já estava cheia mas continuei comendo, guardei um pedaço do croissant pra comer depois. Enquanto comia na lanchonete ele olhava pra mim, perguntei porque me olhava e ele respondeu “Nada, eu gosto de ver você comendo“. Fiquei felizinha, admito. Peguei 2 pães de queijo da porção que ele pediu, daqueles bem pequenos, comi bem devagar; mastiguei. Eu geralmente engulo a comida e como bem rápido, pra acabar logo com tudo.
Paramos num ponto para aguardar alguma van pra casa; ele me abraçou por trás. Disse que estava orgulhoso por eu ter comido algo que eu escolhi, feliz por eu estar alimentada, por estar bem, que não quer me ver fraca. Chorei mas ele não percebeu, não deixei.
Pra quem é de fora e não conhece alguém com TA, talvez não entenda como é difícil comer. Algo que devia ser prazeroso se torna assustador, se torna difícil, se torna impossível. Fico triste quando como e sei que isso está errado.
Mas consegui terminar de comer tudo, um lanche que levaria 2 minutos pra terminar, levei 15. Um passo de cada vez.

-------------------

Conversa que tive com uma amiga:

Amiga: _Está com o S* ?_

Eu: _Sim, tava me sentindo mal pela semana e ele pediu pra que eu viesse sábado._

Amiga: _Por que? O que aconteceu?_

Eu: _Só preciso de alguém de olho em mim, S* vai me olhar e tal, não me deixar sem comer._

Amiga: _Se você desistir de você... ninguém vai poder te ajudar. Você sabe disso._

Eu: _ =\ é, eu sei. Podem me ajudar o quanto for mas eu que tomo as rédeas da situação._

Amiga: _Confio em você... que não vai deixar isso tomar conta de ti. Eu te amo cara, só quero que você seja feliz._




posted from Bloggeroid

sexta-feira, 19 de julho de 2013

Momentos tensos

Contando um pouco do que aconteceu após a gravação...

Filmaram na minha casa mas minha mãe e meu pai falaram que não querem aparecer.
Meu pai disse que é vergonhoso o que fiz, que eu não tenho cabeça e minha mãe disse que não quer a imagem dela "relacionada a isso". Ou seja, eles não querem ver a imagem deles relacionada a filha anoréxica. Parece que eles não aceitam que eu tenho algum problema e preferem fingir que nada acontece.

O apresentador foi muito atencioso ao conversar com eles e explicar de um assunto delicado. Minha mãe disse que sabia de tudo a muito tempo mas falar ou fazer algo que é bom nunca fez. Fiquei até surpresa por isso. O que não surpreendeu foi que notaram a partir dos 15 anos, quando a perda de peso era visível, mas não notaram quando fazia abdominais aos domingos, com 11 anos.
E sinceramente eu tão pouco espero algo deles, já se passou muito tempo, uma década... Como não notar a filha fechada e quieta nos cantos, que pegava embalagens de biscoitos, arroz, macarrão e anotava as calorias e as porções? Que fazia polichinelos após o almoço?
Agora é tarde pra mudar algo (me referindo a eles e o "apoio" que disseram em frente a equipe), eu e eles sabemos que nada mudará. Aliás fiquei quinta e hoje, sexta, quase sem comer e nem notaram.
Por um lado descaso, por outro lado apoio. Liguei pro meu namorado avisando de tudo, que passaria por uma crise, que ficaria sem comer e ele disse o seguinte, com essas palavras:

 “Você não tem que comer porque eu tô te pedindo,
 você tem que comer por você,
 porque você PRECISA comer,
 porque você TEM que comer,
 não se obrigar a isso mas comer pra ficar bem,
 pra viver, fazer isso por você."


Fiquei pensativa depois disso mas sei que ele tem razão. Ele vai cuidar de mim, não me deixar sozinha com meus pensamentos, é tudo que preciso no momento. Desenterrei muitas lembranças com as tais perguntas, muita coisa veio a tona, preciso me distrair um pouco.
Além disso ele me prepara algo leve pra comer, então tudo bem.
Numa segunda ligação ele quis saber se eu comia por causa dele ou porque realmente queria comer, quando estamos/estávamos juntos. Disse que quando estou com ele esqueço de tudo e que não, como porque quero, quando não tenho vontade deixo isso bem claro.

Bom ter alguém pra me dar um apoio assim :)


Só isso por enquanto.

Sobre a reportagem

Como começar esse post... Bem, estive afastada, quando fico com meu namorado (sempre 2 ou 3 dias na semana) eu não vejo blogs e dou uma pequena bisbilhotada em grupos no Facebook. Passamos pouco tempo juntos e gosto de aproveitar.
Essa semana gravei a reportagem para o Conexão Repórter, do Sbt, um quadro sobre transtornos alimentares. Dois dias de gravação.
De algum modo isso mexeu comigo, me fizeram tantas perguntas e eu tive de desenterrar lembranças e sentimentos, agora estou meio... sem reação e sem querer comer. Mostrei fotos minhas, me gravaram de corpo e apesar dos comentários parece que a vontade de emagrecer aumentou. Continuo assustada, não tenho vontade de comer e a fome é quase nula mas conversei com uma amiga que gravou uma reportagem assim há um tempo atrás e disse que essa reação é normal, que quando ela gravou também se sentiu triste e sem vontade de comer e querendo emagrecer mais ainda; com o tempo essa reação vai passar. Assim espero.
De qualquer forma, liguei pro meu namorado pedindo ajuda dizendo sobre tudo, ele vai me ajudar a me distrair, a me sentir um pouco melhor. Se é difícil pra mim, imagine pra alguém que namora uma pessoa com distúrbios e tem de entender e apoiar, inclusive nas crises.
Sobre o que gravei? Contei sobre minha vida, a imagem que tenho de mim mesma, o que como, entre outras coisas que quem lê meus blogs já sabe. Também mostrei algumas postagens de blogs mostrando a diferença entre meninas que não tem TA e só querem emagrecer (muitas das vezes garotas que são acima do peso e querem atingir o imc 18) e outras que tem transtorno e tentam atingir a magreza extrema. Espero que não tirem essa parte, é de extrema importância, até mesmo pra que pessoas mais leigas saibam que há diferenças entre quem SOFRE com anorexia e bulimia e quem BRINCA querendo entrar numa doença.


Abaixo vão algumas fotos das gravações:


Equipe

Cinegrafista Márcio


Fotos que tirei no 2° dia de gravação


O apresentador Roberto Cabrini

Roupas que provei dia 12/07/13. Não uso mais 34.
Não sei se fico feliz ou triste em saber isso.

quinta-feira, 11 de julho de 2013

Mãe anoréxica e grávida do segundo filho

Holly Griffiths, 21 anos, luta contra a anorexia desde a idade de oito anos. Ela deu à luz o seu primeiro filho Dylan com 37 semanas através de cesariana. Holly estava tão magra que o bebê quebrou uma das suas costelas e começou a esmagar seus pulmões enquanto crescia dentro dela.
Dylan nasceu saudável e pesando 2,26 kg, felizmente ele não sofreu nada apesar do fato da mãe ser anoréxica: “Eu tive muita sorte por ele estar bem“, disse Holly. “Eu me senti tão culpada por ter colocado sua vida em risco.
E por incrível que pareça a garota está grávida novamente de 34 semanas de uma menina chamada Isla, e está desesperada para superar a doença e dar à luz a outro bebê saudável.
Felizmente a minha menina tem um tamanho saudável e os médicos estão satisfeitos com meu progresso“, acrescentou. “Estou desesperada para recuperar e poder ensinar aos meus filhos uma maneira saudável de se aproximar dos alimentos. Eu não poderia suportar se eles tivessem as mesmas questões com o corpo como eu, por isso estou lutando contra as vozes em minha cabeça, e espero ficar melhor para eles.

quarta-feira, 10 de julho de 2013

Dieta da boneca magra

Pensando em fazer...

"Dieta da boneca magra:
Dia 1: 10h de nf
dia 2: 15h de nf
dia 3: 24h de nf
dia 4: 12h de nf
dia 5: 20h de nf

"Após completar cada etapa de nf, pode comer até 400 calorias."



Se fizer, acho que não comerei apenas 400 kcal.
Vi diversas outras dietas por aí... Agora estou mais confusa ainda, num momento me vendo enorme e no outro me vendo magra. Maldita distorção.

Sem paciência

Por isso que não gosto de hospitais...
Fui a ginecologista hoje (a médica havia me passado um remédio que não surtiu efeito), saí de casa seis e tal da manhã, cheguei 7 horas lá, fui a 1° a chegar e não era chamada... fui até o atendimento e a recepcionista não havia entregue o meu cartão, sendo que eu dei NA MÃO DELA...
Depois fui até a própria médica, que disse que não podia me atender sem o cartão e ficha, voltei ao atendimento e a recepcionista fez uma cena, se fazendo de desentendida; pedi minha ficha e ela me deu uma senha, a ÚLTIMA, sendo que eu fui a 1° a chegar 7h e teria de aguardar todo mundo ser atendido na minha frente, sairia de lá 2h da tarde.
Voltei, fui reclamar na recepção, a mulher ficou se esquivando e dizendo coisas que havia feito e não queria assumir, uma sonsa... Pedi meu cartão de volta p/ ir embora e ela disse que se eu quisesse que eu fosse buscar... Perdi a paciência e fui embora pra não me estressar mais. Ia reclamar com a direção geral mas resolvi deixar pra lá, duvido muito que isso fosse mudar algo.
Vou aguardar os exames gerais do SUS (marquei a 2 meses atrás) e daqui a pouco julho acaba.

posted from Bloggeroid

sexta-feira, 5 de julho de 2013

No title

Venho sentindo tanta insegurança esses dias, medo, aflição e vontade de perder mais. Não sei o que fazer.


Imagem do dia 1°/07. Passei muito mal nesse dia pela comida. Quando vou poder ser normal?

posted from Bloggeroid

quarta-feira, 3 de julho de 2013

Dias bons, dias ruins...

Passei muito mal depois de ter saído com o namorado, tomei um milk shake de 500ml mais donuts e outras coisas, tive uma vontade imensa de vomitar, não psicologicamente, fisicamente mesmo, meus batimentos estavam muito acelerados. Deitei e fiquei assim, por cerca de 20 minutos, esperando o mal estar ir embora.
Depois fui ao banheiro e passei uns minutos lá dentro chorando. Não queria vomitar, embora isso parecesse aliviar bastante. Engoli o choro e voltei ao quarto, não consegui dizer a ele exatamente o que se passava na minha cabeça, só não quero passar mal de novo. Infelizmente eu ainda passo mal comendo o que não sou acostumada ou em grandes quantidades. Me sinto inútil quando meu corpo rejeita algo. Mais tarde, horas depois, ele cozinhou, comi e - de novo - passei mal, não como antes mas senti uma forte dor na barriga, como se tivesse machucado ali. Na madrugada chorei, chorei por isso, chorei por não conseguir ter um dia normal sem passar mal, chorei por uma amiga que se cortou, chorei, uma meia hora chorando em silêncio. Ai ai...

Só um desabafo.

Seguidores